Notícias

Lei da Cidadania Lituana parte do “processo de cicatrização” para Litvaks

Lei da Cidadania Lituana parte do “processo de cicatrização” para Litvaks

De acordo com advogados especializados em imigração na África do Sul, houve um aumento recente nos pedidos para a obtenção de nacionalidade lituana, por parte de Litvaks sul-africanos, particularmente após as emendas à Lei da Cidadania. Estas emendas eliminam os obstáculos que não permitiam aos lituanos, e seus descendentes, que abandonaram o país no período compreendido entre as duas guerras mundiais restaurar a sua nacionalidade.

A África do Sul possui uma das maiores diásporas da Lituânia em todo o mundo; 90 por cento da sua comunidade judaica, com aproximadamente 80.000, possuem ascendência lituana…

A diferença fundamental presente na emenda é que, em vez de provar que as suas famílias “fugiram” da Lituânia entre 1919 e 1940, os candidatos à nacionalidade lituana precisam agora de provar apenas que “deixaram”. O requisito anterior era, em alguns casos, muito difícil de provar, tendo sido como descrito como “ilógico” pelo ex-embaixador da Lituânia em Israel e África do Sul, Darius Degutis.

Cerca de 95% dos judeus da Lituânia foram assassinados durante o Holocausto. Os críticos à política de cidadania anterior argumentaram que aqueles que partiram nas décadas anteriores à Segunda Guerra Mundial abandonaram o país para fugir a um ambiente perigoso.
Além disso, a possibilidade de obter um passaporte da União Europeia é também um fator importante no desejo dos Litvaks em obter um passaporte lituano. Devido a algumas opiniões, muitas pessoas não estão confortáveis com o governo sul-africano, e pretendem a segurança de um segundo passaporte. Estão literalmente a tirar os passaportes dos seus avós da gaveta – já que é um bom momento para se candidatarem.

O Tribunal Constitucional da Lituânia irá tomar uma decisão sobre a nacionalidade daqueles que saíram do país depois de 1990

O Tribunal Constitucional da Lituânia irá tomar uma decisão sobre a nacionalidade daqueles que saíram do país depois de 1990

A pedido do parlamento lituano, o tribunal constitucional irá clarificar se a lei permite o direito à dupla nacionalidade para os cidadãos que abandonaram a Lituânia para países da União Europeia (UE) e NATO.

Lit_cit
No final de junho, o parlamento apelou ao Tribunal Constitucional para clarificar a decisão sobre a lei da cidadania elaborada em 2013. O Parlamento pergunta se é possível estabelecer um quadro legal, sem alterar a constituição, que pudesse permitir a dupla nacionalidade para os Lituanos que abandonaram o país depois da sua independência.
Ao dirigir-se ao Tribunal Constitucional, o parlamento enfatizou que o aumento na emigração e no número de casamentos mistos após a adesão da Lituânia à União Europeia criou pré-requisitos para ajustar a doutrina constitucional extremamente rígida. As explicações anteriores do Tribunal Constitucional afirmaram que a possibilidade de obter a dupla nacionalidade não poderia ser alargada de forma significativa sem alterar a constituição por meio de referendo. Os proponentes da dupla nacionalidade receiam que um possível referendo não seja bem-sucedido devido a pouca afluência.
Ao dirigir-se ao Tribunal Constitucional, o parlamento lembrou que atualmente existem mais de 22 mil pessoas com dupla nacionalidade lituana. Os políticos afirmam que tal significa que o atual quadro legal já não se encontra de acordo com a doutrina oficial que considera que a dupla nacionalidade deve ser uma exceção particularmente rara, em vez de um fenómeno generalizado. Um estudo levado a cabo por uma empresa de pesquisa de mercado, RAIT, em abril mostrou que 60% dos lituanos são a favor de permitir a dupla nacionalidade para a próxima geração de emigrantes.
De momento, apenas é possível obter a dupla nacionalidade lituana caso um dos seus pais, avós ou bisavós tenha sido cidadão lituano e tenha abandonado a Lituânia algures entre 1918 e 1990. A dupla nacionalidade lituana significa que pode obter uma nacionalidade/passaporte lituano e manter a sua nacionalidade atual (ou nacionalidades), de acordo com a lei lituana. No entanto, tal constitui uma exceção e a dupla nacionalidade não é permitida para lituanos que abandonaram o país após 1990.
Contate-nos agora caso pretenda obter a dupla nacionalidade lituana.

Mais pessoas podem obter a dupla cidadania nacionalidade lituana agora …

Mais pessoas podem obter a dupla cidadania nacionalidade lituana agora …

O Parlamento Lituano alterou recentemente a Lei de Cidadania que permite aos descendentes
de cidadãos lituanos que partiram antes de 1940 obter a dupla nacionalidade lituana. Até agora,
a dupla nacionalidade era apenas permitida para aqueles que fugiram da Lituânia durante a sua ocupação entre 1940 a 1990. Os cidadãos lituanos (e seus descendentes) que deixaram a Lituânia antes de 1940 poderiam obter apenas uma nacionalidade lituana única e tiveram, desse modo, de renunciar à sua nacionalidade atual. Isso impediu que muitas pessoas se candidatassem à nacionalidade lituana.
Agora, é possível obter dupla nacionalidade lituana se, pelo menos um dos seus pais, avós ou bisavós fossem cidadãos lituanos e tivessem deixado a Lituânia durante algum tempo entre 1918 e 1990. A dupla nacionalidade lituana significa que é possível pode obter nacionalidade/passaporte lituano e, ao mesmo tempo, manter a nacionalidade atual. Atualmente, o procedimento de inscrição exige apenas documentos que comprovem ligação com o membro da família com herança lituana.
Além de restaurar a nacionalidade do país dos seus ancestrais, a nacionalidade lituana pode oferecer-lhe, a si e aos seus familiares, uma série de benefícios tangíveis.
Possuir duplo passaporte também pode ter um efeito positivo na sua liberdade pessoal e económica. Possuir dupla ou múltipla nacionalidade – é um passo importante na internacionalização da sua vida para que ninguém a possa governar.
Portanto, se tem antepassados lituanos, é elegível para a obtenção de dupla nacionalidade lituana. Se esta mudança na lei tem interesse para si e caso tenha alguma questão ou dúvida, entre em contato conosco agora.
Estamos prontos para o guiar através do processo de candidatura, mesmo que não tenha a documentação completa. Temos uma vasta experiência em diferentes arquivos lituanos e alemães, podendo encontrar documentos desaparecidos e obter a nacionalidade lituana mesmo nos casos mais difíceis.
O procedimento de candidatura exige ter uma prova documentada de que um dos seus antepassados possuía nacionalidade
lituana e temos uma vasta experiência no trabalho com diferentes arquivos lituanos e alemães para encontrar os documentos necessários para a restauração da nacionalidade.
Estamos prontos para o orientar através do processo de candidatura. Estamos ao seu dispor se pretender entrar em contato conosco, mesmo que não possua a documentação completa, embora saiba que os seus antepassados vieram da Lituânia.
Podemos encontrar os documentos em falta e obter nacionalidade lituana para os nossos clientes, mesmo nos casos mais difíceis.

A comunidade Litvak é eligivel para a dupla nacionalidade lituana novamente

A comunidade Litvak é eligivel para a dupla nacionalidade lituana novamente

Hoje (23 de junho de 2016), o Parlamento Lituano aprovou as emendas (projeto Nr. XIIP-4532 (2)) à Lei de Cidadania, que permite que a comunidade Litvaks obtenha a dupla cidadania lituana. Até meados de 2014, os Litvaks que partiram antes de 1940 e os seus antepassados podiam solicitar a dupla cidadania lituana. No entanto, a interpretação da Lei mudou em 2014 e o Departamento de Migração começou a exigir a prova documentada de perseguição caso os antepassados dos requerentes tenham partido antes de 1940 e o candidato solicitasse a dupla cidadania lituana. Na esmagadora maioria dos casos, tais evidências documentadas eram impossíveis de obter e, portanto, a dupla cidadania para os Litvaks não foi concedida. Esta alteração mudará o processo de candidatura e os Litvaks não serão obrigados a fornecer provas documentadas de que os seus antepassados abandonaram a Lituânia devido à perseguição ou a uma ameaça iminente.

De acordo com o líder da oposição parlamentar e do grupo parlamentar da União Naciona,l A. Kubilius, a adoção dessas alterações foi necessária para resolver o problema que ocorreu após a mudança da interpretação das leis.

“Com base em algumas decisões judiciais, os funcionários do Departamento de Migração começaram a interpretar a Lei de Cidadania aplicável de tal forma que as práticas que funcionavam a partir de 1 de abril de 2011, essencialmente, deixaram de funcionar. Isso causou problemas para os emigrantes ou seus descendentes, que eles mesmos ou os seus antepassados tenham abandonado a Lituânia antes de 1940. De acordo com a legislação de cidadania atualmente em vigor, adotada em 2011, esse grupo de pessoas, incluindo uma grande comunidade de Litvaks em Israel, África do Sul e outros países, tem o direito de obter a dupla nacionalidade lituana “- disse A.Kubilius. De acordo com o líder da oposição, de 2014 a 2015, o Departamento de Migração começou a pedir a cada candidato que comprovasse que o(s) seu(s) antepassado(s) tinha(m) abandonado a Lituânia devido a ameaças pessoais.

Uma das alterações altera a redação do artigo 7, que afirma que o cidadão lituano pode ser um cidadão de outro país ao mesmo tempo, entre outros casos, se “for uma pessoa que fugiu da República da Lituânia antes de 11 de março de 1990 e adquiriu a nacionalidade de outro estado “. A alteração altera a palavra “fugiu” para “esquerda”, o que significa que os candidatos não terão de provar que os seus antepassados tiveram de fugir da Lituânia, devido a algum perigo ou ameaça.

96 deputados votaram a favor da alteração, 4 abstiveram-se e nenhum deles votou contra.

O sítio na Web do Parlamento Lituano afirma que as alterações foram adotadas como sendo de extrema urgência; as alterações foram registadas na terça-feira desta semana.

Primeiro-Ministro Lituano apoia proposta de referendo sobre dupla nacionalidade

Primeiro-Ministro Lituano apoia proposta de referendo sobre dupla nacionalidade

Hoje, foi anunciado que o Primeiro-Ministro lituano apoia a proposta de referendo de dupla cidadania. Esta questão tem sido discutida há mais de uma década, já que centenas de milhares de lituanos emigraram e milhares perderam a nacionalidade lituana depois de aceitarem a cidadania de outro país. A solução para este problema está atrasada. É de saudar o Parlamento Lituano uma vez que demonstraramvontade política para enfrentar este problema e os povos da herança lituana que sentem que o cidadão lituano pode assim recuperar a cidadania dos seus antepassados. No entanto, de momento a emenda constitucional ainda não foi formulada e, além disso, não se sabe qual será o resultado do referendo.

Com base nas discussões anteriores no Parlamento Lituano, é plausível assumir que a nova emenda constitucional permitiria a dupla cidadania lituana para aqueles que atualmente não são elegíveis: os lituanos que emigraram após 1991 e, possivelmente, os lituanos que emigraram antes de 1940. Atualmente, os descendentes (até à terceira geração) de lituanos que foram forçados a fugir da Lituânia durante a Segunda Guerra Mundial podem obter a dupla cidadania lituana e esperamos que a lei se mantenha. No entanto, as regras de aplicação específicas podem tornar-se mais rigorosas à medida que observamos uma tendência geral no aumento do rigor nos requisitos para a dupla cidadania. Se é elegível para a obtenção de cidadania Lituana e estava a considerar em restaurar a sua cidadania para si ou para os seus filhos, encorajamos que o faça agora, antes que as regras sejam revistas novamente e, possivelmente, se tornem mais rígidas.

Por razões geopolíticas, a dupla cidadania pode estar ligada ao fato de o país candidato ser membro da OTAN ou da UE. Só é possível extrapolar se realmente se torna realidade e de que forma, mas este é um tópico que surge constantemente durante as discussões públicas sobre a dupla cidadania na Lituânia. Caso seja introduzido, esta salvaguarda seria, obviamente, destinada a limitar as aplicações de alguns países vizinhos do Oriente. É esperado que, se a lei não for suficientemente rigorosa, alguns candidatos se possam candidatar à cidadania lituana por razões económicas e alguns deles podem ser realmente hostis face ao estado da Lituânia. Esperamos que a formulação da lei seja cuidadosamente pensada e que não tenha consequências indesejadas. Mas as boas intenções às vezes têm consequências não intencionais. Se a dupla cidadania estiver ligada à OTAN / UE, é difícil prever de que modo isso pode afetar os candidatos de países não aliados, como Austrália, Nova Zelândia e Brasil.

Esperemos o melhor, mas é aconselhado conhecer, preparar e planear todos os cenários possíveis.

A nova alteração permite manter a dupla cidadania para os cidadãos lituanos nascidos noutros países

A nova alteração permite manter a dupla cidadania para os cidadãos lituanos nascidos noutros países

Na quinta-feira (19 de novembro de 2015), o Parlamento Lituano adotou uma emenda à Lei de Cidadania que permite aos cidadãos lituanos emigrados adquirir automaticamente a dupla cidadania, para que esta se mantenha indefinidamente. Até agora, os cidadãos lituanos que nasceram noutros países e, como resultado, adquiriram a dupla cidadania, poderiam mantê-la até aos 21 anos de idade. Quando atingissem essa idade, teriam de escolher qual das cidadanias pretendiam manter.

Esta lei é importante para as famílias lituanas (ou parcialmente lituanas) que vivem nos países que utilizam o princípio do jus soli (direito do solo) para conceder uma cidadania Jus soli diz respeito ao direito de qualquer pessoa nascida no território da nacionalidade ou cidadania de um estado. De acordo com esta lei, quando uma criança de pais lituanos nasceu nos EUA, adquiriu automaticamente nacionalidade americana e lituana. A criança poderia adquirir a nacionalidade lituana se, pelo menos um, de dos seus pais era um cidadão lituano. No entanto, ao completar 21 anos agora, precisava de escolher uma das duas nacionalidades.

A nova alteração afetará as famílias lituanas residentes nos países onde o princípio do jus soli é aplicado – EUA, Canadá, Brasil, México, Paraguai, Uruguai, Argentina e Venezuela. O Jus Soli, salvo algumas restrições, é aplicado noutros países com grandes diásporas da Lituânia também: Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Reino Unido, Irlanda e Alemanha.

“É um dia histórico para a Lituânia e um dia extremamente importante para muitos lituanos que vivem no exterior e famílias de descendentes da Lituânia”, anunciou o partido liberal, que propôs a emenda.

“A adoção da emenda à Lei de Cidadania permite que gerações inteiras de lituanos nascidos noutros países mantenham a cidadania lituana”, disse Arminas Lydeka, membro do Partido Liberal.

A emenda entrará em vigor depois de assinada pelo presidente Dalia Grybauskaitė.

Um grupo de membros do parlamento planeia realizar um referendo juntamente com as eleições parlamentares no próximo ano, o que permitiria que todos os lituanos tivessem dupla cidadania. No entanto, mesmo queo referendo se realize, o parlamento apenas decidirá na primavera do próximo ano. As eleições parlamentares terão lugar em outubro de 2016.

Take the first step!

Submit your details for a Free eligibility assessment